ESTOCOLMO NA SUÉCIA - A MAIOR CIDADE DA ESCANDINÁVIA

Grande, bem projetada e única: assim é a Terra dos Vikings, como é carinhosamente chamada Estocolmo, a capital da Suécia. Uma cidade surpreendente, a mais populosa dos países escandinavos, possui IDH (Índice de desenvolvimento Humano) altíssimo e é considerada uma das cidades mais felizes do mundo. 

Estocolmo combina atrações modernas com sítios históricos medievais e além disso, é bastante segura, por isso essa cidade linda nos conquistou à primeira vista.
A lista de coisas para fazer em Estocolmo pode ser infinita, pois é uma capital cheia de atrativos. É rodeada pelo mar Báltico e possui infinidade de belas ilhas e pontes. Não é uma cidade barata, principalmente para nós brasileiros, mas com planejamento dá para conhecer muita coisa. Fizemos tudo por conta própria e deu tudo certo.
Igreja de Santa Clara (Klara Kyrka).
Nós ficamos em um hostel (City Backpackers Stockholm) perto da Estação Central no bairro Normalm, pois assim poderíamos nos locomover a pé para os principais pontos de interesse, como o Centro Histórico ou Gamla Stan, o museu Vasa, o museu do grupo ABBA, o Skansen (museu ao ar livre), o Drottninggatan (Calçadão da cidade) e vários outros lugares lindos.

Stortoget - principal praça de Gamla Stam.
Em Estocolmo, o Bairro Gamla Stan é um dos mais bem preservados sítios históricos medievais de toda a Europa, e é o MUST GO. Explorar suas ruazinhas e casarios é um encontro com o passado. Reserve um dia inteiro para passear pelo bairro, que tem muitas atrações imperdíveis.
Monumento em Gamla Stam.
Gamla Stam.
Há bastante coisa interessante para conhecer na região. Comece pelo Palácio Real, residência oficial da monarquia sueca.
Palácio Real em Gamla Stam.
O Stockholms Slott ou Palácio Real, é um prédio imponente, que possui 7 andares com mais de 600 cômodos suntuosos. Nem todos os cômodos estão abertos à visitação, mas mesmo assim, há muita coisa para ver. 
Guarda Real na entrada do Palácio.
Praça em frente ao Palácio Real.
Interior do Palácio.
Pode-se visitar o trono de Prata da rainha Kristina, os salões de Estado, os salões da Ordem da Cavalaria, a sala do Tesouro com as joias da Coroa e vários outros ambientes igualmente interessantes.
 Salão de Estado com trono de prata da rainha Kristina.
Depois da visita ao Palácio, perca-se nas ruas estreitas do Gamla Stam. Visite as belas igrejas do bairro; experimente o Kotbullar, o prato mais típico do país, que consiste em almôndegas e batatas ou tome um café em uma das diversas cafeterias charmosas e convidativas. 
Kotbullar - prato típico da Suécia.
Museu Nobel em Gamla Stam.
A praça Stortoget é a mais famosa da Gamla Stam e provavelmente de toda Estocolmo, é rodeada por belos prédios medievais, por cafeterias e restaurantes. É nesta praça que se localiza o Museu Nobel. Não o visitamos, mas fica aí a dica.
Outra excelente opção, é caminhar pela Strandvagen até chegar à ilha Djurgarden. Na nossa opinião, essa é a parte mais legal de Estocolmo, pois abriga os museus Vasa, Nordiska, Skansen e ABBA.

Museu do grupo ABBA.
Museu do ABBA.
O museu interativo apresenta exposição permanente sobre o grupo sueco mais famoso do mundo, o ABBA. Fundado em 2013, para os fãs da banda vale muito a pena visitar.
ABBA.
 Museu Vasa.
O museu Vasa é onde está exposto o navio de guerra Vasa, construído no início do século XVII, que afundou durante a navegação inaugural por ser estreito demais, causando comoção geral na época. Passou 333 anos submerso até ser recuperado na década de 1950. Além do navio, há vários objetos de época em exibição.
Detalhes do navio Vasa.

Museu Vasa.

A região de Djurgarden é linda, não muito grande (dá para fazer tudo a pé) e tem várias opções turísticas, além dos referidos museus. O parque de diversões Tivoli fica próximo também e, dali mesmo, o visitante pode pegar uma balsa na Allmanna Grand (terminal de balsas) para qualquer outra ilha que desejar.



Rosa Mendez veio nos ver.
Nossa querida amiga Rosa Mendez, que mora em Lulea, no norte da Suécia, veio nos visitar em Estocolmo e ficamos muito felizes com o reencontro.
Rosa & Rose, uma bela amizade.
Esta bela amizade começou durante uma expedição que fizemos no deserto de Sal em Uyuni na Bolívia alguns anos atrás. Ela viajou quase mil quilômetros desde Lulea somente para nos ver. Tivemos um dia maravilhoso, regado à boas conversas e muitas risadas.

Outra atração imperdível em Estocolmo é o ICE BAR, o primeiro bar de gelo permanente do mundo. Fica dentro do Hotel C Stockholm em Normalm, bem pertinho da Estação Central.
 Ice bar Stockholm - até os copos são feitos de gelo.

Vale muito à pena conhecer o local, tomar um drink em copos feitos de gelo e tirar fotos divertidas. O bar abre às 16:30 de domingo à quinta e às 15:45 sextas e sábados. Crianças são aceitas, desde que acompanhadas por adultos.
O bar tem capacidade máxima de 60 pessoas e o tempo médio de permanência é de 40 minutos. O visitante recebe roupa térmica e luvas na entrada, pois a temperatura interna pode chegar à 10° negativos. Nós conseguimos ficar 49 minutos, o que foi uma proeza. 

Os drinks no Ice Bar nem são tão gostosos, o legal mesmo é a experiência de conhecer o lugar.
Mercado Saluhall em Ostermalm.
O Ostermalm Saluhall também é bastante interessante para visitar se você tem tempo disponível na cidade. Trata-se de um mercado temporário (o original encontra-se em reformas) onde podemos encontrar produtos típicos da Suécia, além de bares e restaurantes. Tudo muito limpo e organizado.

Ficamos impressionados com a quantidade de mariscos e peixes de água gelada que não conhecemos aqui na América do Sul. Depois de passear pelo mercado, decidimos tomar um chopp em um dos bares locais. Se o mercado provisório valeu a visita, imagine depois que o original terminar a reforma?
  O legal de Estocolmo, foi que pudemos conhecer quase tudo caminhando, mesmo com o frio do inverno. As pessoas já estão tão acostumadas com o clima, que quase nada as impede de fazer o que gostam, de desfrutar o dia, de passear. E como os locais, fizemos o mesmo e gostamos bastante.
 
 Existe um preconceito muito grande com viagens para a Escandinávia durante o inverno, muitas agências de viagens no Brasil nem oferecem passeios para lá durante essa estação do ano. Na verdade, acreditamos que não há frio incapacitante se você está com roupas adequadas.
Mesmo no inverno, achamos tudo lindo e tivemos até a sorte de desfrutar uns dias de sol. Afinal, cada estação do ano tem sua beleza, não? Ficamos imaginando como seria no verão...
Mais um motivo para voltarmos lá, algum dia.

VEJA TAMBÉM:
COPENHAGEN NA DINAMARCA
LUXEMBURGO - UM DIA FRIO E SOMBRIO
ÁUSTRIA ABAIXO DE ZERO
BARILOCHE NO INVERNO