MALTA - O PAÍS DAS CINCO ILHAS

O arquipélago de Malta, situado entre a Sicília e a costa norte da África, é conhecido por paisagens naturais e locais históricos relacionados a uma sucessão de invasões romanas, mouras, francesas e britânicas. Por ser território estratégico, foi disputado durante vários séculos, absorvendo assim, diversas culturas.
Malta conta com um grande número de fortalezas, templos megalíticos e um complexo subterrâneo de corredores e câmaras funerárias que datam aproximadamente de 4.000 a.C.

O país é conhecido aqui no Brasil como destino de estudantes de intercâmbio que desejam aprender inglês, por isso o fluxo de brasileiros apenas para turismo  não é muito grande.

 Decidimos visitar esse pequeno e belo país quando estávamos de férias na Itália, visto que é bastante perto. Compramos voos de ida e volta saindo de Roma com bagagens incluídas por 95 euros ida/volta. Valeu muito à pena! 

Spinola Bay.
Malta é um pais bem pequeno, não são necessários muitos dias para conhecê-lo; nós optamos por três noites e achamos suficientes para conhecer a ilha central onde se localiza a capital do pais.

 Spinola Bay.
Há outras ilhas que valem à pena conhecer, como Gozo e Comino, mas como estávamos no inverno, achamos melhor ficar apenas na ilha principal.

Calçadão da Spinola Bay.
Nos hospedamos em Saint Julian (um dos municípios mais turísticos da ilha), pois nele se concentram a maioria dos hotéis, pontos turísticos, um excelente sistema de transporte público e muitas lojas. 
 
 Começamos pela Spinola Bay, uma baía muito charmosa com um calçadão bem longo e excelente para um passeio à beira-mar.

 
Spinola Bay, à noite fica ainda mais linda.

A verdadeira Cruz de Malta.
Há bastante coisa interessante para se fazer na ilha principal durante três dias, mas imperdível mesmo é passear pelas ruas estreitas e medievais de MDINA - A CIDADE SILENCIOSA.

Mdina, a cidade silenciosa.

Mdina.

Portão de entrada da Città Vecchia.
Protegida por uma muralha, Mdina anteriormente era chamada Città Vecchia, teve influência árabe e romana, e foi a capital do país até que a substituíram por Valletta, em 1570. Possui edifícios, palácios e igrejas belíssimos que datam do século XV. 

Mdina foi cenário de gravação da série Game of Thrones. 
Atualmente, existem aproximadamente 250 pessoas morando na fortaleza, o movimento é praticamente feito pelos turistas que a visitam, principalmente pelo dia, por esse motivo Mdina também é conhecida como a Cidade Silenciosa.
Outro local imperdível para se visitar é VALLETTA, a atual capital da República de Malta. É bem pequena, mas tem bastante coisa legal para ver e excelentes restaurantes especializados em cozinha mediterrânea. 
Come-se muito bem em Malta.
Com um clima Mediterrâneo, a cidade amuralhada de Valletta foi estabelecida no século XVI numa península pelos Cavaleiros de São João, uma ordem católica romana. É conhecida pelos museus, palácios, grandes igrejas e construções medievais.
Jardim de Barrakka.
Lindo jardim em Valletta, que possui uma vista espetacular para as Três Cidades-ilhas: Vittoriosa, Cospicua, Senglea.
Cidade de Vittoriosa.
Fonte de Triton no centro de Valletta.
Catedral de St. John.
Em Valletta há 37 igrejas, mas a Catedral de St John, construída pelos Cavaleiros de São João entre 1573 e 1578, é muito linda e a mais conhecida de todas.
Calçadão de Valletta.
Waterfront.
Cavaleiro de São João 
Waterfront de Valletta possui ótimos bares, restaurantes, lojas de artesanato e vista para o mar. No verão é um dos points mais badalados do arquipélago.
Triq Sant'Orsola em Valletta, um excelente lugar para se ver o pôr-do sol.
Triq Sant'Orsola e a vista da cidade.
Outro lugar realmente imperdível é a região de BLUE GROTTO, que são cavernas marinhas localizadas na costa sudeste de Malta. Bem servida de transporte público, essa atração foi a que mais gostamos de conhecer na ilha.
Blue Grotto.
Transporte público para Blue Grotto.
É um dos passeios mais procurados pelos turistas que visitam Malta. A visita ao Blue Grotto é feita em barquinhos com capacidade máxima para nove pessoas, não dura mais de trinta minutos e vale muito a pena.
Uma das cavernas do Blue Grotto.
Recomendamos que o passeio seja feito pela manhã por causa da incidência dos raios solares, que fazem a água parecer ainda mais translúcida.
Honeymoon Cave.
Esse é o famoso Blue Grotto.
Kingfisher Restaurant - comida boa e vista para o mar.
Depois da visita ao Blue Grotto, recomendamos almoçar na região, que é muito turística. Há várias opções para todos os gostos e bolsos. Quem quiser, ainda pode dar uma caminhada por uma das trilhas para observar o Blue Grotto de cima.
Outro lugar encantador para passar umas horas é a aldeia de pescadores MARSAXLOKK, que aos domingos tem mercado à céu aberto e é muito frequentada por moradores e turistas.

Considerado como o maior porto de pesca de Malta, o lugar é uma graça, cheio de barquinhos coloridos e bares no calçadão. Vale dar uma passadinha por lá, mesmo em dia de semana.

 Igreja em Marsaxlokk.
Orla de Marsaxlokk.
Para quem gosta de baladas, PACEVILLE é o melhor lugar da ilha. Localizada em St. Julian, essa região ferve todos os dias da semana, lotada de turistas e estudantes de intercâmbio, que vão para lá em busca de diversão e pegação.

 Hard Rock Café em Paceville e cerveja local .
Paceville: o local das baladas em Malta. 

Hugo's Terrace Bar em Paceville.

St. George's Bay.
Bem pertinho de Paceville, encontramos uma praia urbana bem legal: a St. George's Bay, onde decidimos passar alguns momentos ao sol antes de nos dirigirmos ao aeroporto e voltar para Roma.
 
St. George's Bay.
Ficou com vontade de conhecer? Acredite, vale muito a pena dar uma esticadinha até Malta, principalmente se você gosta de boa comida, belezas naturais e de conhecer gente bacana. Com certeza será muito bem recebido lá.