sexta-feira

CAMPO DE CONCENTRAÇÃO DE AUSCHIWITZ NA POLÔNIA

 Chegamos em Auschiwitz pela tarde e já tivemos uma impressão muito ruim do local antes mesmo de sair do ônibus. Um ambiente tão pesado e triste que até começou a chover para piorar o contexto.
 
Dentro do barracão.
 Um lugar gigantesco, cheio de galpões restaurados para visitação do público e outros em ruínas, apenas com suas chaminés em pé, que davam uma ideia da grandiosidade do campo de extermínio durante a II Guerra Mundial.
 Um dos galpões vistos por fora. 
  Galpão onde dormiam os prisioneiros judeus à espera de sua execução. Havia dezenas de beliches, onde dormiam 12 pessoas em cada catre. Como conseguiam?Linha de trem por onde chegavam os vagões lotados de gente para ser exterminada.
Mais 100.000 judeus couberam neste campo de extermínio, que tinha 25 km de cerca eletrificada, vários postos de controle, cães e policiais alemães em todos os lugares possíveis. Uma seleção de prisioneiros era feita na entrada, logo depois que desciam dos trens. Uns serviam para trabalhos forçados, os demais eram exterminados nas câmaras de gás do complexo.Posto de controle e outros galpões ao fundo.
Cerca elétrica e mais galpões.
Médicos especializados faziam a seleção dos que eram aptos aos trabalhos forçados e os que não “serviam” para nada. Estes, geralmente crianças, mulheres, inclusive gestantes, idosos, pessoas deficientes e os enfermos eram enviados para uma parte do campo de concentração onde passavam vários dias sem beber e sem comer. Neste lugar ficavam as câmaras de gás.
Crematórios gigantes.
Dentro do crematório gigante. Havia dois deles no campo.
Os que aguentavam esse calvário, depois de três ou quatro dias, eram levados para as câmaras de gás para serem exterminados e suas cinzas jogadas em um lago ao lado do crematório coletivo.
Outro crematório. 
Alguns prisioneiros eram utilizados em experimentos médicos pelo médico Josef Menguele. Faziam verdadeiras atrocidades em nome da "ciência". Todos os experimentos que eram proibidos aos seres humanos eram feitos em homens, mulheres e crianças, muitas vezes com produtos químicos sem qualquer anestesia que pudesse aliviar as dores.
 Local onde eram jogadas as cinzas dos crematórios.
Tanta maldade sem explicação!!! Senti vontade de vomitar.
Senti tremores e vontade de vomitar, talvez pelo nojo que tive dos alemães de Hitler que fizeram tanta maldade. Ficamos sabendo ainda, para nosso desespero, que existiam os campos de Auschwitz I e III na mesma região, que também cometiam as mesmas atrocidades.
Um dia para não esquecer jamais, para que NUNCA mais aconteça novamente.
25 km de cerca eletrificada. 
video
Vídeo feito dentro de um dos galpões que alojavam os judeus para serem executados.


VEJAM TAMBÉM AS POSTAGENS:
Varsóvia com Gueto Judeu na Polônia.
Alemanha com Museu do Terror

UM POUCO MAIS DE INFORMAÇÃO PARA QUEM SE INTERESSAR:

Numa área rural, três quilômetros a noroeste do campo inicial, ficava o centro de extermínio de Auschwitz-Birkenau, concluído em novembro de 1941, com um ramal ferroviário e uma rampa de seleção, pela qual os judeus eram enviados para o trabalho escravo ou para as câmaras de gás. Até 100.000 pessoas podiam ser instaladas nos alojamentos construídos em Birkenau. Em janeiro de 1942 ficou pronta a primeira câmara de gás em Birkenau; a segunda entrou em operação em junho. Em dezembro de 1942, a câmara de gás original foi desmontada , sendo substituída por um crematório com a mais moderna tecnologia, contando com duas câmaras de gás. Os crematórios resolviam os problemas associados com os sepultamentos em massa e a incineração de cadáveres ao ar livre, com se fizera inicialmente em Auschwitz. Em 1944 havia quatro crematórios ativos em Auschwitz. As câmaras de gás eram camufladas como chuveiros coletivos. Avisava-se às vítimas que seriam desinfetadas. Os alojamentos adjacentes eram usados para os judeus se despirem e como depósitos de malas, óculos, cabelos, sapatos e outros pertences pessoais.
Logo quando chegavam, homens e mulheres eram separados em filas, oficiais da SS faziam perguntas sobre idade, vocação e saúde. As pessoas selecionadas como capazes de trabalhar eram registradas, tatuadas e recebiam roupas do campo. As consideradas incapazes para o trabalho (até 90% em cada grupo) eram enviadas para as câmaras de gás, sem qualquer processamento burocrático adicional. Médicos da SS também selecionavam candidatos a experiências médicas.
O objetivo da solução final, o extermínio de todos os judeus da Europa não foi alcançado. Mas cerca de seis milhões de vítimas entre judeus, mais ou menos dois terços da população judaica da Europa antes da guerra e um terço de todos os judeus do mundo, fizeram com que o HOLOCAUSTO fosse o único em extensão, entre todos os genocídios da história. UMA VERGONHA PARA A HUMANIDADE, QUE PERMITIU QUE ISSO ACONTECESSE!!! (Livro: Hitler’s Germany, 1999).


11 comentários:

  1. Anônimo20:42

    Essa foi a coisa mais vergonhosa realizada pelo ser "des"humano!!!!!!!!!!!
    Parabéns pela viagem e pela coragem de visitar esse lugar horrível, que só traz lembranças amargas. É viajando que se aprende...

    Sara Medeiros.

    ResponderExcluir
  2. Marcia15:10

    Li o Diário de Anne Frank e de Mary Berg sobre os horrores da guerra. Os detalhes são terríveis. O que você sentiu estando num lugar tão macabro como este? Você leu estes diários ou fez alguma pesquisa antes de viajar??

    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Anônimo18:15

    Já estive neste lugar e passei mal, não consegui ficar muito tempo.
    Rezo para aquelas almas ficarem em paz.

    ResponderExcluir
  4. Maria14:37

    Existe um outro livro que fala sobre o Holocausto: A mala de Hana. Vale a pena ser lido.
    Parabéns pela coragem de ir a um lugar desses..

    ResponderExcluir
  5. Olá pessoal,

    antes de ir estudei bastante. Li os diários de Anne Frank e Mary Berg, a Mala de Hana, além do livro Gestapo.
    Li muito sobre as atrocidades da guerra, sobre os Bairros Judeus, assisti a vários filmes do mesmo tema. Eu queria saber o que estava visitando, inclusive visitei dois Guetos Judeus, um na República Tcheca e o mais famoso, o Gueto de Varsóvia, além do campo de concetrção de Auschwitz. Sem dúvida, aprendi bastante indo nestes lugares.

    Um grande abraço a todos.

    ResponderExcluir
  6. Lugar terrível, horripilante mesmo. Definitivamente, eu não gostaria de visitar este lugar!!!!!!!

    ResponderExcluir
  7. Anônimo07:23

    nesta merda de brasil que deveria ter um campo assim,pra, traficande, assaltante, politicos em geral
    estrupadores , etc.....

    ResponderExcluir
  8. Marcelo18:42

    Triste mas curioso, faz parte da história.

    ResponderExcluir
  9. Infelizmente é verdade. Não podemos esquecer atos como este contra a humanidade. Um abração e muito obrigado pelo comentário.

    ResponderExcluir
  10. Anônimo16:52

    Não gosto da ideia de alimentar a INDÚSTRIA DO HORROR como vocês fizeram ao visitar um local como este. Sei que não podemos negar o que aconteceu, mas visitar e principalmente, pagar para conhecer tão famosa indústria da morte, me faz pensar. Como tão horrendo lugar seduz os visitantes??? Que prazer mórbido leva alguém a um lugar destes????
    Sei lá, desculpem. Mas é minha opinião. Fora isso, o blog é muito legal.
    Abraços
    Manoela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Manoela.
      Respeitamos sua opinião, mas tínhamos o desejo de saber mais sobre tão terrível acontecimento. O que aprendemos nos livros de história não representa a milésima parte de tudo que aconteceu. Por isso decidimos ir. Aprendemos muito e isso fez valer a experiência de termos ido conhecer a "indústria da morte" como você mesma mencionou.
      De qualquer maneira, sua opinião será sempre bem vinda!!!!!
      Um grande abraço.
      ROSE VITAL E ADILSON VITAL

      Excluir

ESTE ESPAÇO É SEU. SINTA-SE À VONTADE!!! COMENTE, PERGUNTE, CRITIQUE, PARTICIPE!!!